Os meus amores crescidos - .

03 fevereiro 2020

Os meus amores crescidos



Durante muito tempo publiquei aqui no blogue posts sobre o Gonçalo e o Miguel. No outro dia, perguntaram-me sobre eles, porque eu já pouco escrevia sobre os meus filhos.

O motivo: eles estão crescidos e não gostam que eu escreva sobre eles. E fotos só com a devida autorização (como esta).

E, contudo, há tão pouca coisa escrita em blogues sobre esta fase de mãe em que me encontro. É que as preocupações mantêm-se, mesmo sendo outras (se eu vos contasse quantas horas durmo nos dias em que eles saem à noite). Ou é porque começaram a conduzir, ou porque vão com amigos que têm carta há pouco tempo, ou porque ouvimos falar de assaltos, ou porque o álcool vai estar disponível, ou porque... Então eu, com a minha imaginação prodigiosa, capaz de fazer filmes em menos de dez segundos!

Mas, devo dizer, também, que há mudanças boas- poder sair e deixá-los em casa sem estar a ter de arranjar alguém para tomar conta deles, quando o Luís está cá termos muito mais tempo um para o outro, eu viajar mais facilmente...  E depois, eles partilham as tarefas de casa comigo e  tenho mais tempo para mim, as conversas que se têm, o vê-los crescer e participar das suas conquistas, sentir que eles tomam um bocadinho conta de mim- acho que tem a ver também com o facto do Luís estar fora, mas comovo-me muitas vezes com as perguntas que querem saber se estou bem, se preciso de ajuda e com o estarem sempre a dizer para eu sair com as minhas amigas, ir ao teatro, fazer coisas.

Claro que por vezes (muitas vezes?) tenho saudades de quando eles eram mais pequeninos, dos programas que fazíamos, dos abraços apertados, do cheirinho deles de bebé, mas também é maravilhoso poder ir almoçar com eles e discutir o que se passa no mundo, ver um filme nomeado para os Oscars e falar sobre ele, aprender sobre Eminem e sobre youtubers.

Resumindo em poucas linhas as tantas palavras que escrevi- os meus amores  cresceram, o amor não diminuiu nem um bocadinho e, maravilha das maravilhas, aumentou o tempo que tenho para mim (e surspresa: não me sinto nem um bocadinho culpada por isso!).

3 comentários:

  1. Olá Sofia. Os meus também já estão todos crescidos, são 4 com 31, 27, 20 e 18. Amei cada fase do crescimento de todos e nunca tive pressa que crescessem, mas cresceram, graças a Deus, saudáveis e agora adoro os nossos almoços de sábado de 4 horas, em que ficamos a conversar sobre tudo e mais alguma coisa, sentados à mesa. E sim, também tenho muito mais tempo para mim e adoro! Um beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Olá Sofia, este texto poderia ter sido escrito por mim! É exactamente a fase em que me encontro e sinto exactamente do mesmo modo! Nos entretantos, os seus meninos estão girissimos:)bjinho de outra mãe assim meio coruja meio águia!

    ResponderEliminar