Homenagem deVida #1 - gira aos quarenta

02 novembro 2017

Homenagem deVida #1


Há pessoas cujo exemplo deveria ser conhecido por mais gente. Este texto  já foi publicado no jornal local, mas penso que mais gente deveria ser tocado pela Filomena...

Partiu há dias a Filomena.

A Filomena não era a minha melhor amiga. A Filomena não era minha confidente. A Filomena era (e continua a ser) a mãe do Rafa, amigo do meu filho. A Filomena era (e continua ser) a mãe de dois antigos alunos meus.
Tinha-me cruzado com ela, não muitos dias antes, no corredor da escola onde ela fora como encarregada de educação assinar uns papéis. Fiz-lhe a pergunta do costume e, aflita pela campainha que soara, mal lhe dei tempo que me respondesse. Mas, mesmo assim, respondeu-me sorrindo que estava tudo bem. Eu, mesmo sabendo das notícias que a diziam muito fragilizada a nível de saúde, acreditei.

A verdade é que sempre que me cruzava com ela, a Filomena emanava uma força tal que contagiava e que nos fazia duvidar. Sei agora que ela não queria ninguém triste com o sofrimento dela, sei agora que ela se preparava para partir e que deixou tudo preparado, sei agora que ela foi realmente uma grande mãe, mulher lutadora  e amiga especial que marcou a vida de quem se cruzou com ela.
A Filomena não era da minha família, mas é uma mulher que não esquecerei pois fez-me pensar e relativizar tanta coisa.
Afinal, por que motivo corro tanto?
Afinal, por que razão me chateio com os brancos que aparecem?
Afinal, por que não gosto das minhas manchas que apareceram na gravidez?
Afinal, por que refilo quando perco dois minutos quando estacionam à frente do meu carro?
Afinal, por que não agradeço mais?

Quanto a mim, já decidi, vou tentar aproveitar cada hora, cada dia que me resta,  cantar as canções dos Coldplay a plenos pulmões,  sorrir até me doerem os músculos da face e gargalhar até doer a barriga. Não prometo resultados rápidos, mas a certeza de que tentarei.

Pela Filomena. Por mim própria.
Quem se junta?


19 comentários:

  1. Passamos demasiado tempo preocupados com coisas que nem são problemas e não damos valor ao que temos de bom. É tempo de mudar e "perder" tempo com o que realmente vale a pena, aproveitar enquanto temos tempo.

    ResponderEliminar
  2. Junto-me eu também!
    Tanto que nos passa pelos dedos das mãos e que não valorizamos!!!
    Obrigada pela sua partilha. Aproveitemos cada momento enquanto podemos!!

    ResponderEliminar
  3. No mínimo tentarei.
    Muito bonito este texto que trata de um assunto difícil de "gerir" pois abana convicções de imortalidade que se colam à nossa pele durante muito tempo. De repente, as certezas caem-nos aos pés e sentindo-nos a vacilar num campo minado. Por isso é que a mudança se opera e, onde havia certezas, passa a haver o propósito confessado: no mínimo tentarei.
    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu complementas o que escrevo. Beijinhos

      Eliminar
  4. bom dia menina Sofia

    conseguistes colocar-me logo de manha com as lagrimas nos olhos...
    Não conhecia a Filomena , mas tive pena ... ouvi falar muito dela.
    parabéns pelo texto, e pelos textos que publicas no nosso querido jornal.
    um abraço , continua assim ...


    Poppy

    ResponderEliminar
  5. A Filomena é sem dúvida muito muito especial.
    Deixa em todos muita saudade mas também a convicção de que temos de aproveitar tudo o que a vida nos dá pois era assim que ela o fazia.

    ResponderEliminar
  6. Boa tarde, Sofia
    Sem duvida a Filomena era uma mulher forte e cheia de força e com muita coragem não há explicação de quanta força ela demonstrava ter, eu mais que ninguém lhe sabia dar o valor do que ela se calhar pensava muitas vezes sem o dizer a alguém, quando eu lhe perguntava está tudo bem Filomena? Ela com o seu ar de sorriso, vou indo um dia de cada vez como tu sabes e é verdade só damos valor à vida quando passamos por situações menos boas e sem duvida a Filomena transmitia sempre uma força enorme, por isso onde quer que esteja ela nunca queria ver ninguém triste, quando estou mais em baixo penso muito nela, sabes que quando vejo a foto dela não consigo chorar, parece que ela me está a transmitir uma força que não sei explicar. onde quer que esteja está a olhar por todos nós principalmente pelos príncipes dela um beijinho de saudades

    ResponderEliminar
  7. Obrigada!
    A Mena, assim a chamamos na família, deixa tanta saudade! Acreditem que a minha prima era uma força da natureza para mim será sempre um exemplo. As suas palavras comoveram-me e fico feliz de a minha prima ter marcado a vida de várias pessoas.

    ResponderEliminar
  8. ha apenas uma frase que a descreve
    she is a conqueror

    A minha mardinha foi mais que uma tia para mim foi uma mae

    ResponderEliminar