Mãe, vais sentir a minha falta? - gira aos quarenta

03 setembro 2018

Mãe, vais sentir a minha falta?


"Mãe, vais sentir muito a minha falta?" - perguntou-me ontem o Gonçalo, a propósito da sua ida, nos próximos dias, para Lisboa.
Olhei para ele e a minha resposta saiu sem hesitações- "Vou, mas quero muito que vás".

Regressámos há pouco de Lisboa e já tem casa (as listas só saem para a semana, mas decidimos alugar antes porque ele praticamente só concorreu a cursos do Instituto Superior Técnico e é muitíssimo provável que ele entre). Fizemos os dois a cama onde ele irá dormir, fomos à mercearia para que a despensa ficasse compostinha, deixei-lhe um cobertor quentinho no armário e as minhas lágrimas espreitaram quando vi o desembaraço dele nas ruas de Lisboa-o meu menino que viveu até hoje  numa rua com dez casas de uma aldeia pequena,  parecia que pertencia ali.

Eu quero que ele vá, que prossiga o seu caminho, que faça as suas escolhas, que encontre novos amigos, que veja mundo, que solte mil gargalhadas, que sofra (só um bocadinho) por amores que irá ter, que beije, que ame, que viva!

Estaremos separados muito dias por mais de cem quilómetros, mas eu tentarei ser sempre a sua rede e sei que ele sabe disso.
Se me custa e se vou ter saudades dele aqui por perto? Custa, mas a felicidade que sinto por ver que ele trilha o seu caminho é bem maior do que o receio dos apertozinhos que sei que rondarão o meu coração. 

Asseguro-vos que isto é mesmo o que penso, que não são palavras vãs. Ele tem dezoito anos, quer ir para um curso que tem muita matemática e física e eu fico feliz por ele. E  agradeço a felicidade que é poder ver um filho seguir o seu próprio caminho. E agradeço. E agradeço outra, e outra e outra vez.

Nota: O cabelo do Gonçalo era lisinho mesmo, os caracóis apareceram na adolescência- o rapaz não fez permanente:)


9 comentários:

  1. Tão bom! Deves ter um orgulho enorme do excelente trabalho que fizeste/fazes como mãe! A nossa missão é dar-lhes asas para voar! 👏

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo. Obrigada por estares aqui.

      Eliminar
  2. Vai tudo correr bem! Que orgulho terá como mãe. Um beijinho e força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sofiazinha (achei graça ao diminutivo), um grande beijinho e obrigada!

      Eliminar
  3. Abre as asas e vai à conquista do seu espaço. Será no entanto o meu eterno menino. Muito orgulho deste jovem.

    ResponderEliminar
  4. Os filhos não são nossos,
    é o chavão. Porém são.
    São cuidado permanente, nosso.

    Preocupação? Não.
    Que palavra para se expressar,
    melhor, a ligação que obstetra algum
    logrou no mundo separar?

    O Gonçalo, permanentemente encaracolado ficará.

    Parabéns aos protagonistas da história.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adorei o comentário. Obrigada do fundo do coração.

      Eliminar
  5. Querida Sofia, comecei a ler este post e tive de parar a meio, pois as lágrimas não deixaram ler mais. depois recuperei e li até ao fim.
    se precisar de alguma coisa, não hesite, estou em Lisboa todos os dias.

    beijinhos para toda a família e sucesso para o Gonçalo.

    de coração...

    ResponderEliminar