Renascer a cada dia - .

26 dezembro 2020

Renascer a cada dia



 Às vezes, tenho medo de começar a cair no exagero e policio-me neste novo caminho em que entrei. Eu explico.

Tenho vindo a ter cada vez mais vontade de menos coisas, de menos barulho, de menos luzes que magoam os olhos, de menos perfumes que entontecem... Pode ter sido da conjugação da pandemia com o ter vivido cinquenta anos, pode ter sido de eu pensar demais nas coisas, pode ser de me deixar talvez influenciar por pessoas que leio...Também não interessa. Hoje sou esta.

Este Natal não comprei, como costumava, mais nenhum adereço natalício para a casa- voltei a usar o que já tinha, fiz argolas para os guardanapos com alecrim, enfeitei jarras com camélias bravas e com o que apanhei no campo e iluminei a casa com velas. Quanto a presentes, também não me perdi- alguns livros, escolhi algo que os meus filhos realmente gostassem, mesmo que eu não achasse graça ( comprar um vinil do Eminem para o Miguel, por exemplo) e fui a pouco original tia que oferece dinheiro aos sobrinhos. Nos doces, cá por casa. para além do bolo-rei, cada um escolheu o doce preferido- aletria para o Luís, baba de camelo para o Gonçalo e leite creme para mim e para o Miguel.

Imagino que, a esta altura, devem estar a pensar que me tornei numa chata de primeira apanha. A verdade é que, sinceramente, acho que não. Continuo a ouvir música alta e a dançar sempre que posso, telefono e mando mensagens a quem não poderia deixar de o fazer, gosto de novidades e de saber sobre livros e filmes novos e ainda me rio muito (sobretudo de mim própria).

Mas tento falar menos e ouvir mais ( e sei que preciso ainda de melhorar esta parte).

Seguir nas redes socias apenas quem realmente interessa e me acrescenta algo.

Ser mais e  pensar em ter menos ( nada fácil e posso comprovar o feito no histórico deste blogue).

Sentir o que me arrepia a pele e ligar cada vez menos ao que me irrita.

Se o caminho está concluído? Ui! Nada disso! Apenas o tento iniciar de novo a cada dia (e com alguns desvios pelo meio).

Aos cinquenta deu-me para isto. Olha, poderia ser pior e ter começado a fumar uma coisas!😀






Sem comentários:

Publicar um comentário