A princesa que eu não sou - .

09 agosto 2018

A princesa que eu não sou


Meço um metro e meio. Cento e cinquenta centímetros. E durante anos (mais de metade da minha vida) desejei ser mais alta. Tenho quarenta e oito anos e só há pouco tempo fiz as pazes com o facto de ser baixinha- que palermice, digo agora!

Aliado ao facto de ser pequenina, tive sempre um ar "fofinho" que nunca quis ter. No outro dia uma miúda muito amiga disse-me que eu estava bonita, que estava fofinha. Eu disse-lhe, com sinceridade, que eu não gosto de ser fofinha.

A verdade é que eu não gosto de peluches, de bonequinhos e coisinhas tais, de velas no quarto ou pétalas na cama, não sou grande apreciadora de nomes cutchi-cuxi e (surpresa) não vibro quando o marido me oferece flores (entretanto informei-o e ele já não oferece). 

Mas escrevia eu sobre a minha altura- atualmente não me chateia nada o que meço. Sou assim e gosto. No entanto,  continuo a não gostar de ser vista como fofinha, porque é algo que eu não sou. 

E o que é que eu sou?
Sou mais cinza do que rosa.
Sou mais complicada do que simples.
Sou mais "beija-me com força" do que "dá-me um beijinho".

Eu não sou uma princesa. Eu sou uma mulher.

2 comentários:

  1. Tão bom :"Sou mais "beija-me com força" do que "dá-me um beijinho"."

    ResponderEliminar
  2. Pois, também não sou nada de Mimi mis. Há e só tenho mais 7 cms e nunca, mas nunca, me importei com isso.

    ResponderEliminar