Das melhores decisões que tomei na vida... - gira aos quarenta

17 novembro 2017

Das melhores decisões que tomei na vida...


Fumei durante alguns anos. Comecei tarde, no meu último ano de estágio e continuei até aos 33 anos de idade. Não fumava muito, mas fumava todos os dias e a verdade é que aqueles cigarros ao fim do dia, num jantar de amigos, nas conversas demoradas, me sabiam maravilhosamente. 
Interrompi durante a gravidez do Gonçalo, mas retomei. Faz agora mais ou menos catorze anos, quando engravidei do Miguel parei. De vez.

Lembro-me de que, após o Miguel ter nascido, numa das minhas primeiras saídas com amigas, me ter apetecido um cigarro. Não fumei. Lembro-me de muitas passagens de ano em que estive tentada. Disse não. Lembro-me de em julho deste ano, num jantar de verão, me ter apetecido muito. Voltei a não tocar num cigarro. 

A verdade é que não confio em mim e sei que não quero voltar a ficar dependente de algo que me faz tão mal. Cuido da minha pele, da minha alimentação, quero gostar de mim quando me vejo ao espelho e tudo isso não combina com o vício do tabaco. Não sou de moralismos e cada adulto faz o que bem entender, mas a verdade é que, para além de ser um vício caro, uma mulher ou homem que fume tem, efetivamente, menos saúde do que se não fumasse.
E, para além da nossa saúde,  aos vinte ou trinta anos os malefícios podem não ser muito visíveis, mas depois dos quarenta é impossível não dar por eles na pele, nos dentes, no cheiro da nossa pele. 
Hoje é dia do não fumador. E eu tenho orgulho em escrever que continuo a dizer que não ao tabaco. Quando apetece,  respiro uns segundos e penso no que não quero- ficar dependente de algo que me faz mal.

Nota: a foto é do meu Instagram, foi tirada hoje com o telemóvel, não tem filtro, não fui ao cabeleireiro nem estou a usar demasiada maquilhagem. Tenho quarenta e sete anos e meio e acho que, sem peneiras, nem estou muito mal. E acho que posso agradecer à melhor decisão que tomei.

3 comentários:

  1. Que MULHER!!!!

    É preciso uma força de vontade enorme e uma motivação constante para não cair na tentação diária de ter uma recaída (que acredito que seja enorme). Que esta decisão a acompanhe sempre e que tenha sempre forças para continuar :)

    Um beijinho enorme,
    Rafaela Dias do blog www.mydailythoughtsss.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Eu fumava dois maços por dia. Comecei aos 22, quando estava em Itália no Erasmus, e quando regressei a Coimbra continuei. No dia em que soube que estava grávida da Mini mais velha, há 12 anos, deixei. Depois de fazer o teste de gravidez nunca mais fumei. Até hoje. E sim, foi das melhores decisões que tomei. O meu marido, também fumador, mas de um maço por dia, também deixou dois meses depois de mim!

    ResponderEliminar
  3. :)

    A Sofia está linda!!
    Um beijinho!
    Cris

    ResponderEliminar